Um país refém

5AlU5RYs

Um país refém da paralisação dos caminhoneiros, refém do crime, refém na Linha Vermelha, escondido atrás do carro, esperando que o tiroteio acabe. Um país refém da bala perdida, do arrastão, do golpe por telefone, do sequestro relâmpago, de pivetes na rua (tente traduzir estas palavras em qualquer outra língua). Um país refém que mata mais que a Síria e o Iraque, que resolve só 8% dos homicídios, refém de não poder se defender.

Continuar lendo “Um país refém”

A legalização dos talibãs e a origem violenta do poder político

5AlU5RYsRecentemente, no âmbito do processo de pacificação do pais, o presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, propôs aos talibãs fundar um partido, oficialmente reconhecido e legal. Ele falou também em perdoar membros que aceitem se comprometer com as negociações. Pode parecer surpreendente, mas é comum e normal: a paz se faz com os inimigos. Quando você não consegue aniquilá-los, mais cedo ou mais tarde deverá acertar as contas com eles.

Continuar lendo “A legalização dos talibãs e a origem violenta do poder político”