Formulaumizar as olimpiadas

Risultati immagini per jornal hoje em diaImagine um jogo de futebol Nike X Adidas, uma competição de natação Speedo X Arena, times de Ginástica como Technogym, Cocacola X McDonalds, times de Atlética como Bridgestone, Cisco, Samsung. Os campeonatos mundiais de Formula 1 funcionam assim: não se desafiam países, mas empresas de carros, antigas oficinas de mecânicos (Ferrari, Williams, Lotus, Mercedes, BMW, McLaren, Renault etc.) hoje patrocinadas por grandes multinacionais (Redbull, Pirelli, Petronas,Shell, Total, etc.).

A Formula 1 funciona de forma totalmente privada, não gasta um centavo do seu dinheiro e é até muito lucrativa. As olimpiadas modernas são um evento eminentemente politico, os gastos bilionarios sempre geram polemicas pois quem paga somos nós, são fruto de lobismo e são usadas como palco politico. Além disso, fortalecem o nacionalismo e muitas vezes criaram problemas diplomáticos.

Os jogos de 1936 na Alemanha (nazista) foram usadas pelo regime para tentar mostrar a superioridade da raça ariana. Não conseguiram: O negro americano Jessie Owens ganhou 4 medalhas de ouro na atlética! Durante a Guerra Fria, os dois blocos se desafiaram como na corrida espacial para demonstrar qual sistema fosse superior: no 1956, após a ocupação Russa da Hungria, teve vários problemas e o jogo de polo aquático entre os dois países acabou em briga; Em 1980 (em Moscow) e em 1984 (Los Angeles) os Países de um bloco boicotaram os jogos quando eram hospedados no outro e vice-versa; Em 1972 teve o famoso ataque terrorista contra os atletas israelense; Em 68 (Mexico) os dois atletas negros americanos Tommie Smith e John Carlos levantaram o punho (símbolo do Black Power) contra a discriminação em pátria; em 2012 (Londres) duas atletas russas se beijaram em protesto às discriminações contra homossexuais em pátria, o mesmo governo Russo que agora foi acusado de estar por tras de casos de doping; Em 2012 o corredor americano (descendente Mexicano) levantou ambas as bandeiras e foi criticado. Tem também notas positivas como o selfie das duas atletas coreanas (Norte e Sul) ou abraço dos atletas Americanos e Iranianos (durante as tensões de 2012), mas as vezes o tal de espirito olímpico parece ceder ao nacionalismo.

Economicamente é outro desastre: os jogos de Montreal 1976 deixaram a cidade com uma dívida de 30 anos; As olimpíadas de inverno de Nagano 1998 deixaram uma divida de 30.000 US$ por família, As instalações de Sochi 2014 já foram abandonadas; O orçamento preestabelecido foi estourado em todas as edições; As olimpíadas de 1992 reformaram toda Barcelona com dinheiro pago pelo país todo; Só os jogos de Los Angeles 1984 deram lucro, pois (depois do desastre de Montreal) nenhuma cidade quis hospedar e aí foram utilizadas velhas infraestruturas. Hoje poucas cidades se candidatam.

Poderia se gerar lucro facilmente, bastaria manter os custos menores que o ganho. O problema é que o COI pede expressamente a construção ou a reforma de instalações novas, mesmo se há bons estádios recentes (note que as instalações do pan-americano 2007 do Rio foram destruídas). O fato que se use dinheiro dos outros explica tudo: o custo é socializado e o lucro privatizado.

Muitos criticam este modelo e propõem alternativas, alguns propõem uma sede fixa, outros 3-4 sedes entre as quais dividir as disciplinas ou fazer um rodizio. O modelo da formula 1 parece ser o melhor por cortar na raiz o problema: investe quem quer, ganha quem consegue. Sem tocar nosso bolso. Simples demais para ser aplicado em um evento que foi politizado faz muito tempo.